quinta-feira, dezembro 27, 2007

tenho sono...

Falta-nos tanta coisa...estamos em crise(dizem...)
...e depois o Senhor Primeiro Ministro oferece aparelhos gps...
dizem as más línguas que é para alguns dos ministros saberem para onde vão depois do governo ser reformulado...(li na Visão)...
de certeza que a Sra. Ministra de Educação não precisará de semelhante prenda!
Mas louvo este governo pela coragem de ir para a frente com as medidas anti tabagistas (desde que sejam anti...o governo faz de tudo...),que logo no primeiro dia do ano entram em vigor...pena é que, estando o governo tão preocupado com a saúde dos portugueses, não se tenha lembrado de comparticipar na medicação para se deixar de fumar.Eu gastei o dinheiro...E sei que nos centro de saúde é aquela coisa para as consultas anti tabaco...espera...espera...espera...tivessem os médicos de assinar livro de ponto...isso é que o governo fazia bem!!!
Isto li na Visão e fui rindo com a nossa realidade!!!
E digo eu:quem me dera poder ir viver para Espanha...Olé!
post scriptum: concordo, mas com algumas reservas, com esta lei...afinal ainda me sinto fumadora...e estes também devem ser respeitados na sua liberdade de escolha...

terça-feira, dezembro 25, 2007

fernando pessoa
florbela espanca
odete saint maurice
dan brown
agatha christie
e as margaridas rebelo pinto e
claras pinto correia

maria rita,
ney matogrosso
elis regina
tom jobim
gaiteiros de lisboa
simone
mozart, sempre mozart

gorros e mais gorros
e luvas sem ser com os dedos todos,coloridas

um caderno e um lápis...

Porque o Natal é feito de coisas pequenas, de lembranças de quem e para quem conhecemos e amamos...

segunda-feira, dezembro 24, 2007


Parabéns Papagueno.
Grande beijo com pés...

domingo, dezembro 23, 2007

Bom Natal

Sendo eu assumidamente uma emotiva inata...não posso deixar passar este momento assim sem mais nem menos...
Resolvi procurar...algo que eu gostasse e me fizesse sentir...Natal.
Encontrei em Fernando Pessoa.
Escritor de quem não leio muito, mas que sem querer, ou por caminhos entrelaçados da música e da poesia vou encontrando e me fazem sorrir a alma...

"Chove. É dia de Natal

Chove. É dia de Natal.
Lá para o Norte é melhor:
Há a neve que faz mal,
E o frio que ainda é pior.

E toda a gente é contente
Porque é dia de o ficar.
Chove no Natal presente.
Antes isso que nevar.

Pois apesar de ser esse
O Natal da convenção,
Quando o corpo me arrefece
Tenho o frio e Natal não.

Deixo sentir a quem quadra
E o Natal a quem o fez,
Pois se escrevo ainda outra quadra
Fico gelado dos pés. "


Bom Natal para todos...sem pés gelados!

Bom Natal e...

Depois de receber algumas mensagens de Natal, não pude deixar de dar razão ao meu amigo sportinguista sobre a teoria dele( Gandin de Tondela )e, então decidi colocar aqui uma mensagem de telemóvel, que até foi o meu pai que recebeu, enganadamente...pois o número dele já foi do meu irmão...ou seja, foi uma antiga colega do meu irmão que lhe mandou.Ora como ela até corrobora a teoria do Gandin...nem sabia que o meu irmão já tem um número novo, pelo menos há uns 5 anos...
Então aí vai...
Feliz Natal...Boas entradas, um 2008 em grande.
Feliz aniversário e uma Páscoa feliz.
Um óptimo 25 de Abril, dia da mãe e do pai.
Goza bem os santos populares e restantes feriados.
Bom Carnaval e excelentes férias.
Já está tudo despachado até 2009...
Gostei!!!

terça-feira, dezembro 11, 2007

A vida vai acontecendo...sem acontecer!
Apenas o amor nos dá vida.
Os meus filhos, donos de mim, vão dando passos largos para irem...e vão com o meu sorriso construindo a vida e o mundo.
O João, grande amor, chegou à idade completamente aparvalhada...do "e???", do abana a franja que não existe para nao lhe atingir os olhos(que até estão cobertos pelos óculos!!!), e tem borbulhas na cara...para não falar dos pelitos que aparecem nos sítios importantes...está mesmo parvo!E só diz disparates...mas depois é o máximo a conversar, pois fala como um homem grande, com vocabulário exigente e ideias bem definidas.
A Leonor...goza com o irmão:diz que ele é o dicionário ambulante(ouviu alguém dizer que era a alcunha dele na escola!) e depois fica cansada para escrever as cópias. A escola é mesmo uma seca para ela, pois não pode conversar com o Pedro Abrão, sem ser interrompida pela professora.
Claro que fica de castigo, sem ver a televisão, o que é porreiro, pois fica bem mais activa em casa, sempre bem disposta e conversadora. É o amor que nos une, e que nos faz sorrir do bem e do mal...
E a Beatriz?Já come sopinha e pêrita cozida!Está gordita e quando chego bem perto dela , ela começa a dar como os pézitos, pois sabe que sou eu que lhe dou montes e montes e montes de colinho...sou mesmo uma madrinha de maus hábitos...
E continua de olho bem azul...como a avó Leonor!
E depois...a assistir a tudo isto, de sorriso matreiro e bonito, o olho verde continua a tomar conta de mim...a proteger-me, a ajudar-me, a mimar-me...
Porque a vida acontece sem acontecer...quando sentimos e amamos!
E sim, sou feliz!

domingo, dezembro 09, 2007

domingo, dezembro 02, 2007

O conto de Natal

O João teve de escrever um conto de Natal, e depois leu-o cá em casa, bem enroscadito no sofá, com a família que se foi criando:eu, a irmã, o Luís, o Anacleto e o Chico(os últimos dois, são os peludos e ronroneiros cá de casa!). Foi um dos momentos mais engraçados destes últimos tempos, pois acabamos todos na risota...e claro...sobrou para mim passar em computador...
Não resisto...e depois de lhe ter pedido...aqui vai o texto:

Conto de Natal

"O aprendiz de Pai Natal"

Como todos sabem, o Pai Natal é um homem velho e barbudo...
Certo dia, o nosso homem gorducho, pôs-se a pensar:
“Estou velho, tenho de me reformar.”
Afixou alguns cartazes que diziam:
“Procura-se aprendiz de Pai Natal.”
Passou-se um dia, dois, três... mas ninguém respondia.
De repente, no meio do silêncio, ouviu-se:
Trrim, trrim.
- Estou! – Diz o Pai Natal entusiasmado.
- Está lá? Eu estou a ligar por causa do anúncio.
- Ah! Óptimo! Apareça, por favor, em minha casa, por volta das 10 horas. A minha morada é: rua 12, nº 1234, 5º esquerdo.
- Lá estarei!
No dia seguinte, lá estava ele: um rapaz jovem, de vinte e poucos anos, alto e magro.
- É você o Pai Natal? – perguntou o jovem
- Sim.
- É um prazer conhecê-lo. Chamo-me Alexandre.
- Bom, não há lugar para mais apresentações. Se queres ser um bom Pai Natal, tens que trabalhar duro!
O Pai Natal explicou-lhe como fazer os brinquedos coordenar as renas, como cuidar daquele fato velho!...
No dia 24 de Dezembro o Pai Natal adoeceu.
- O que faço? O que faço? – perguntava o jovem, apavorado
- Calma...
- Mas então e as crianças, vão ficar sem presentes.
- Então, podes ser tu a entregá-los!
- Mas...como é que eu entro dentro das casas?
- Calma, basta aterrares junto das chaminés. Vais ver, tudo acontecerá naturalmente.
À noite, partiu, e fez tudo exactamente como o Pai Natal mandou. De repente, plim, encolheu, encolheu, até ficar do tamanho de uma noz, e entrou.
Entregou todas as prendas a todas as crianças.
O Pai Natal reformou-se e o Alexandre tomou a seu lugar.
Ninguém notou a diferença, pois o novo Pai Natal era tão gentil como o nosso gorducho reformado.
E assim escreve o pequenito...

E a vida continua...

Sempre que aqui tento vir acontece qualquer coisita, e depois passa o momento e...mas hoje venho para ficar!
Os últimos dias tem sido de "grandes" acontecimentos!O olho verde, depois de tirar os parafusos do pé, tem estado por casa de pezito ao alto, mas agora já está bem, pois tirou os pontos.Graças a...alguém que tudo está bem!Entretanto, como sou ciumenta nas atenções, "resolvi" ficar com uma constipação e fiquei uns dias em casa...grande coisa...doente, mas tenho de fazer quase tudo como nos outros dias...vida de mãe é assim...não se pode estar doente!
Mas recuperei, que remédio, a tempo de na 6ª feira ter de ir à 1ª reunião da catequese para a Profissão de fé do João.Mas que coisa...Ainda tenho bem na memória as reuniões para a 1ª comunhão, que foram simplesmente umas palhaçadas...mas lá tive de ir. O meu filho merece que eu vá, que eu engula o que lá dizem, que tenha de fazer de conta que concordo...
Andei na catequese até aos 16 anos, idade em que disse ao padre que não estava a encontrar respostas para as perguntas que tinha. Ele, sempre carinhoso, disse para eu ir e procurar na vida e em outros sítios as respostas que me fizessem crescer, mas sabia que eu um dia voltaria.
Voltei por alguns momentos.Foram poucos e só me fizeram sentir mais longe.
Mas tenho de ir, deixar que o meu filho aprenda os ensinamentos do Homem mais puro de sempre, mas sempre com o cuidado de lhe mostrar os erros católicos.
Sim à bondade humana, à solidariedade, à aceitação da diferença...e sim à liberdade de escolha e de pensamento...coisa que a igreja católica não sabe que existe.
E depois é a hipocrisia...vejamos...o padre da paróquia tinha na sua frente uma série de pais com os seus filhos, e falou, falou sobre a família...e entre esses pais quantos não estão separados e divorciados?Esses em que família católica entram?Para a Igreja esses não existem...
O meu exemplo é o máximo...eu numa cadeira numa fila e o pai do meu filho numa outra cadeira bem longe de mim...é a verdadeira família católica!!!Hipócrita!
Mas é assim...as fachadas são bem mais importantes...e eu não sou deste mundo!
Pior é para o João, que detesta ir à catequese, mas como o pai exige que ele vá , ele vai...até um dia...e depois fica sempre dividido nestas coisas...andou lá de um lado para o outro, ora no colo do pai ora no colo da mãe...mas ele é mesmo especial, soube estar discreto e fez ver a todos que tudo se resolve sem grandes constrangimentos.
Vim embora com algumas certezas...o meu filho merece que eu ature aquela gentinha, e que a minha fé não é ali que está! Vou continuar com o meu lema de vida:amar quem me ama, ajudar quem precisa, e tentar perdoar...