quarta-feira, setembro 20, 2006

Numa porta entre aberta
que se pode ver?
uma vida de ninguém ou alguém
e quem sabe o que a nossa imaginação prever.
Sentei-me para esperar
que algo aconteça e me faça andar,
e sem querer fui vendo
como uma simples porta entre aberta nos pode contar:
filhos que correm para lanchar, em gritos de alegria de voltar
mães que sofrem a ver, quem lhes deu vida e espera por morrer
depois ouvem-se sussurros de conversas
que acabam em gargalhadas ou choros contidos
e a porta continua entre aberta,
como se de uma força gigante aguardasse
para se fechar, e não nos deixar entrar...
Não vou continuar à espera...
vou até lá
pela porta entre aberta passar
e deixar de inventar...

4 comentários:

rendadebilros disse...

Sempre a Mãe e as suas angústias...
Temporal por aí ou nem por isso?
Beijos.

marakoka disse...

não fiques pela espera...avança...sempre

jocas maradas

papagueno disse...

Uma porta aberta pode ser o passaporte para um mundo novo, não temas vai em frente. Beijos.

Kalinka disse...

VAREIRA

Vives num lugar tão belo...
gostaria de estar perto desse teu Mar, poder ouvir o rebentar das ondas, com esta forte ondulação!
Quando passo de combóio para o Porto, levanto-me sempre em Espinho, para poder ver o teu Mar, o areal, tudo o k conheço dessa terra linda onde vives.

Numa porta entreaberta que se pode ver? TUDO e NADA.
VIDAS para além da porta.

Obrigada pelas tuas visitas e as palavras simpáticas que sempre me escreves. Beijos ternos.