sexta-feira, outubro 31, 2008

Pai
Perdoa-me
… os sorrisos que não te dei
Aqueles que sorri no mundo e não estavas
Aqueles que só a ti deveria ter dado e os desperdicei
Perdoa-me
…ter nascido não só para ti
Viver não só para ti
Sonhar não só para ti
Perdoa-me
… os sonhos que não te deixei sonhar
Os sonhos que sonhaste para mim e eu não os realizei
Perdoa-me
… a criança que fui
A rapariguita apaixonada, alegra e delirante
A mulher que me tornei, zangada, desiludida, triste
Perdoa-me
… as alegrias que te dei
Os desgostos que não me perdoei
As lutas que travei, contigo ao meu lado
Perdoa-me
… o tempo que não partilhei contigo
O tempo que não te dei
O tempo que não estive
Perdoa-me
… o amor que senti por outros que não tu
O amor que me ensinas-te a dar
O amor que sinto pelos teus
Perdoa-me
… chorar-te
Não me deixar aceitar a tua ida
A raiva
O desespero
A saudade
Perdoa-me
… o amor que te tenho
Para sempre…

2 comentários:

Anónimo disse...

não tens que pedir perdão...
eu sei que ele e eu tivemos sempre orgulho em ti...
mano

Gandin Tondela disse...

A alguém que se ama tanto e que oferece tanto amor diariamente nunca há nada para se perdoar...