sábado, outubro 14, 2006

Que me perdoem os amigos...mas hoje quis dar uma prenda ao Papagueno que tantas vezes me presenteia com música e palavras amigas...
Um dos poemas que mais gosto...

Eu sou a que no mundo anda perdida,
Eu sou a que na vida não tem sorte,
Sou a irmã do Sonho, e desta sorte
Sou a crucificada...a dolorida...
Sombra de névoa ténue e esvaecida,
E que o destino amargo, triste e forte,
Impele brutalmente para a morte!
Alma de luto sempre incompreendida!...
Sou aquela que passa e ninguém vê...
Sou a que chamam triste sem o ser...
Sou a que chora sem saber porquê...
Sou talvez a visão que Alguém sonhou,
Alguém que veio ao mundo pra me ver
E que nunca na vida me encontrou!
Florbela Espanca

1 comentário:

papagueno disse...

Obrigado, deves ter adivinhado que é a minha poetisa preferida. Fiquei tocado com esta homenagem. Mais uma vez obrigado. Jokinha.